Errol Sansade

  Ator, Cantor, Showman.

  Graduou-se em Arte Dramática no Conservatório Nacional de Teatro do Rio de Janeiro. Estreou profissionalmente em teatro no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM), em Salomé, de Oscar Wilde, em 1968, ao lado de Paulo Gracindo e Marco Naninni, seu contemporâneo.

  Nesse mesmo tempo, e paralelamente à carreira de ator, iniciou-se também na música, em festivais, lançado pelo compositor Adílio Silveira (considerado gênio por Tom Jobim), que o elegeu como seu interprete favorito.

  Defendeu em festivais suas composições como - "Canção da Nossa Praia". "O Pequeno Príncipe", "Canto dos 3 Rios".

  Em destaque a canção "Velha Cerca" composta em 1970, para o intérprete em sua residência, à época, no bairro do Ingá - Niterói - RJ - QG (Quartel General) da Música Popular Brasileira naquele período.

  Assim, no Festival de Música 2015 - MEC e Rádio Nacional - Rio de Janeiro (gênero MPB), realizado em novembro, a canção A canção, inscrita no Festival de música 2015 (MEC e Rádio Nacional), sobressaindo-se entre 450 inscritas, com interpretação do artista.

  Em 2017 "Velha Cerca" foi lançada em "single", com produção independente.

  É intérprete também de composições do Maestro Eduardo Lages, como "Razão de Paz Pra Não Cantar", quando participou do Movimento Artístico Universitário (MAU), ao lado de Gonzaguinha e Ivan Lins.

  Teve participação marcante também no Festival da Canção Popular em Muriaé - MG ao lado de Sá e Guarabira.

  Apresentou-se em todos os teatros de Niterói.

  No Rio de Janeiro, palcos como da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Clube Naval do Rio de Janeiro, Hotel Sofitel Copacabana, Greenwhich Village, Centro Cultural da Justiça Federal, Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa.

  Na TV Brasil, participou dos programas "É Preciso Cantar ", "Ciranda" e "Música Popular Brasileira".

  Na Rádio Roquete Pinto foi presença constante no programa do produtor musical Maurício Figueiredo.

  Em 1993 lançou o álbum "Às Vezes é Assim..." com músicas inéditas de compositores de renome.

  O álbum foi também lançado no programa "Sem Censura".

  Desde 1991, também Produtor, dirigindo seus próprios espetáculos como "América, América", "Errol Esotérico", "Livre para Voar", apresentado no Teatro da UFF.

  No Teatro do Centro Cultural da Justiça Federal, aprestou "Livre para Voar nas Canções Nacionais", homenageando compositores exclusivamente brasileiros dos anos 40,50 e 60, até o prenuncio da Bossa Nova.

  "Novamente Eu e o Violão" Show apresentado no espaço cultural Fratellanza.

  "Gracias a La Vida" espetáculo teatralizado celebrando a América Latina, teve estreia no Cariocando em 2017; casa noturna no Rio de Janeiro.

  Especializado também no repertório litúrgico, cantando em igrejas, celebrações, casamentos.